11 de jun de 2013

Sindicato lançou A Casa de Ferro durante o Congresso

O SINJUSC lançou mais uma publicação durante o 6º Congresso em Balneário Camboriú. Depois do gibi A Loucura do Trabalho e da História em Quadrinhos (HQ) A Hora das Capivaras, o Sindicato entregou A Casa de Ferro. Se a primeira propõe ao leitor pensar no resultado do trabalho sobre o ser humano, e o a segunda, sobre a organização dos trabalhadores na defesa de objetivos comuns, A Casa de Ferro provoca o despertar e a permanente vigília diante da alienação e do individualismo.

A ideia para a elaboração da Graphic Novel veio com o professor Gaudêncio Frigotto, do Conselho Científico do Centro de Estudos e Pesquisas em Trabalho Público e Sindicalismo, durante um curso de formação. A história que sustenta a publicação e que orientou o artista Maurizio Di Reda – também autor das ilustrações de A Hora das Capivaras -, foi narrada por um personagem real.
Em 1918, o ex-estudante de Medicina e escritor reconhecido na China por propor mudanças radicais para aproximar a cultura do povo,  Lu Xun, pseudônimo de Zhou Zhangshou, concede entrevista à Revista Nova Juventude, que tratava do lançamento do livro escrito por Lu Xun, Diário de um Louco (mesmo título de uma obra de Gogol). A história é um manifesto contra uma sociedade na qual os homens só sonham em devorar uns aos outros.

Lu Xun compara esta situação a uma casa de ferro, indestrutível, sem janelas ou portas, e cheia de homens adormecidos. Alguém sabe que todos morrerão asfixiados, sem sentir dor. Então começa a acordar os de sono mais leve. E esta minoria sofrerá a angústia da morte. Mas haverá sempre alguém disposto a despertar outros, na esperança de um dia destruir a casa de ferro.